cabecalho

cabecalho
Aproveite ao máximo o Blog Fotografia de Verdade

Pesquisar este blog

Cação não existe

Cação não existe
Cação é tubarão! Apenas uma nomenclatura para se vender carne de um animal em extinção

sábado, 25 de junho de 2011

Um segundo logo após o outro.


Queria postar algo que traduzisse meu velho pai, mas hoje também sou pai e, também transmito ao meu futuro as coisas que aprendi com o tempo junto dele . E ainda acredito que tenho em mim, a imagem refletida de alguém que me deu a vida e, continuo desfrutando da felicidade de poder compartilhar minhas paixões com suas experiências. Não herdei a paixão pelo mar, mas os tempos eram outros. Tempos que passaram e me deram as oportunidades de hoje em dia. Mas o tempo continua.



Independentemente do que eu faça, o tempo continua passando conforme na lentidão de quem tem pressa ou, a calma de quem precisa adiantar o futuro. Na expectativa do próximo momento, me entristeço, com o tempo que me rouba o prazer de viver a cada segundo que  ficou para trás. E me alegro com a felicidade da chegada do que era ansiedade a algum tempo atrás. Agora é a hora, hora de viver ou sonhar com o instante que me tirava o sono. Mas o tempo não perdoa, vem com a velocidade que deveria e se vai levando os momentos de nossas vidas. Vidas que se formam com o passar do tempo ou, se registram nos miléssimos de segundos. Fazer a vida parar não é fácil, mesmo que seja em uma simples fotografia ou no momento de um belo sorriso. Se tornaria fácil sim, se os instantes parassem para nos dar mais tempo, um dos motivos de apertar o dedo no botão de uma máquina fotográfica de uma forma bem simples. Dar um pause, implorar para que a maré pare e, assim poder admirar a vida no azul, mas a vida precisa de tempo, precisa ser vivida em seu tempo porque a maré não pararia, apenas nos daria o necessário para admirá-la.
Sentar a beira do mar, deixar apenas que a água molhe a sola em meus pés, é tão maravilhoso quanto o prazer de seu beijo, mas a magia de seu olhar me intriga. Não consigo viver só com a imagem da superfície, preciso ver o fundo de seu olhos, preciso admirar a beleza do fundo das águas, necessito que a cor da vida, a transparência do azul passe diante de meus olhos e, se apresente em seu tempo em minhas expectativas. 


Necessito que o tempo passe, mas ele passaria independentemente de qualquer forma, me trazendo o fim de algo que ainda nem teve o início. Mas porque minhas ansiedades me dispertam a imaginação de como será o futuro. Como uma ilha cercada pelas águas, vivemos os instantes cercados pelos momentos de nossas vidas e, os instantes não param, a maré não cessa e meus segundos agora passam a com a mesma calma que tenho quando te admiro. Apenas preciso fechar os olhos para poder brincar com o tempo, me colocaria no futuro mas sem o prazer de ter vivido. Ou seria melhor, que voltasse aos instantes que já se passaram, para que pudesse me dar novamente os instantes de prazer em apreciar a vida vivida. Não sei, apenas quero fechar os olhos e sentir o barulho do tempo, o segundo de cada onda trazida pela maré.
Mas nasce os primeiros raios de sol, e a maré continua em seu rítmo, os ponteiros não param e a vida vai seguindo seu tempo conforme deveria. Minha admiração por você continua, minha paixão pelo mar se enche com a maré e a vida vai se tornando perfeita, sempre perfeita, simplesmente perfeita. Em minhas fotos, vou tentando parar momentos da vida, vou tentando alimentar minhas paixões,  e vou dando sentido aos meus momentos. Mas os raios solares nascem novamente, minha felicidade agora traz alguns sinais do tempo, mas continuo me apaixonando ainda mais pela vida e a paixão que tenho por você se amadurece com a mesma intensidade que o tempo tem sobre minha vida. Impossível não admirar a cor do mar em seu olhos, impraticável não me sentir protegido quando estou sob sua superfície. Mas algo ainda me entristece, o tempo passa, trás e leva a maré, e deixa o peso da vida. Sua superfície não tem mais a calma que tinha nos primeiros raios solares, agora o espelho já me mostram imagens onduladas, mas ainda me vejo através dela, ainda vejo o seu interior, e o meu medo maior é que o espelho se quebre. Preciso voltar a terra, mas desejo continuar aqui e continuo sendo obrigado a deixar o tempo passar por mim. Trazendo o respeito, a imagem do mar é sempre a mesma, por que um segundo após o outro não se faz em horas, mas constroe uma vida com milhares delas. E só quando paramos nosso tempo, temos a noção de como essa mesma imagem é apenas parecida em seu interior. A superfície sempre sofreu as forças dos ventos trazidos pelo tempo e, essa sim se desfaz, se remodela, e se transformará a cada segundo de uma hora.
Hoje me faço feliz com o tempo, me dou por conformado pelos segundo que me roubou, agradecido pelo tempo que tenho, ou tive , e o tempo que terei agora nesse exato momento. Sempre  continuarei curioso de como estará a maré nos próximos raios solares que nascerem . A superfície estará novamente como um espelho me mostrando a vida em minha volta, mas meu olhos continuaram na essência de sua vida, o tempo passará mas o meu medo maior é que o espelho nunca se quebre, antes que meu tempo chegue.


5 comentários:

  1. Palavras verdadeiras, sentimentos marcantes. Parabéns!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Eternize momentos, cada fração de segundo vale um sorriso eterno... Acredite!!!!!!

    ResponderExcluir
  3. Show de bola, primo! Grande texto! Está realmente muito bom! Fiquei imaginando a maré indo e vindo, onda após onda, e o tempo se eternizando para aqueles que sabem dar sentido a esses momentos. Um grande abraço

    ResponderExcluir
  4. Poder sentir a leveza das ondas, o toque suave da brisa,o calor do Sol, a intensidade de cada amanhecer e poder eternizá-los nas lembranças não é para todos. Somente os iluminados tem esse privilégio, e você é um deles. Faça a diferença!!!

    ResponderExcluir
  5. ** Raio de Luar **11 de outubro de 2011 19:12

    Nossa!!!!!!!!!!! Tanto sentimento e emoção juntos... O tempo não para, as ondas não cessam mas, a essência nunca se perderá em meio as turbulências da superfície. Um sentimento verdadeiro vai e vem com a maré mas,... nunca se perde no mar. Pode se transformar e enfim se render mas, continuará se eternizando a cada milésimo de segundo... Você consegue fotografar e escrever com o que há de mais puro n'alma... Fantástico!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir